Inicia a substituição de ligustros por ipês e pera d’água avenidas de Santo Ângelo

Inicia a substituição de ligustros por ipês e pera d’água avenidas de Santo Ângelo

Nosso Mundo | Foto: Fernando Gomes/Prefeitura de Santo Ângelo/Especial

Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Santo Ângelo, Corsan e RGE deram início na manhã desta quinta-feira, 6, a uma ação ambiental que abre caminho para a substituição a longo prazo de espécies do arbóreo urbano, como o ligustro, por variedades como ipê roxo e rosa na Avenida Salgado Filho e pera d’água na Avenida Sagrada Família.

A ação ambiental teve início pela Salgado Filho esquina com a Rua Marechal Floriano, com o trabalho de abordagem e orientação realizada pelos servidores da Corsan a pedestres e motoristas alertando para o uso consciente da água e divulgando o programa “Se liga na rede Santo Ângelo”, estimulando as ligações domésticas às redes coletoras de esgoto em locais onde há disponibilidade do benefício. “Este é um ato continuo de conscientização para um meio ambiente equilibrado.

“Cada um deve fazer a sua parte, separar corretamente o lixo e efetuar as ligações domésticas para o esgotamento sanitário. Os mananciais são as maiores vítimas da falta de consciência ambiental. Precisamos despertar a população para a importância da preservação do meio ambiente”, disse João Batista Corim, superintendente regional da Corsan.

Durante a atividade, foram plantadas 40 mudas de ipês roxo e rosa que, segundo secretário do Meio Ambiente, Francisco da Silva Medeiros, são árvores ornamentais de médio e grande porte, que oferecem um novo paisagismo e não atrapalham a infraestrutura da avenida.

Em parceria com a Rio Grande Energia (RGE) a secretaria implantou também na manhã de quinta-feira, 6, o Programa Arborização mais segura, plantando 40 mudas de pera d’água às margens da Avenida Sagrada Família.

O programa prevê a retirada de 205 árvores que oferecem risco à rede de energia elétrica e às pessoas, com a compensação pela RGE, do plantio de 400 mudas de diferentes espécies em áreas diversas da cidade.

Segundo avaliação técnica, as árvores às margens da avenida não receberam o manuseio correto e terão que ser retiradas. O secretário disse ainda que a opção pela manutenção das peras às margens da Avenida Sagrada Família foi dos próprios moradores.

[+] Veja mais Nosso Mundo

Publicidade