Falsificações de cosméticos são um risco à saúde


Vida Saudável | Foto: Marcelo Matusiak/Divulgação

Estar atento à saúde também significa se importar com as substâncias com as quais o corpo tem contato, mesmo que, teoricamente, sirvam para trazer benefícios. O cuidado com a pele, cabelos e unhas deve estar em primeiro lugar e o que parece ser um preço atrativo demais pode ser uma armadilha.

Imitações e falsificações estão presentes em todas as partes. Isso inclui cosméticos e protetores solares.

“Os falsificados podem conter substâncias nocivas à saúde, como os metais pesados, além de substâncias nocivas não informadas na bula, ter concentrações de ativos mais baixas ou mais altas do que as utilizadas, ou até não conter os ativos”, alerta a dermatologista Taciana Dal’Forno Dini.

Ainda que seja um problema difícil de ser corrigido, a orientação é sempre buscar produtos originais. O consumidor deve ter consciência e procurar sempre por canais oficiais da marca e lojas autorizadas, jamais adquirindo produtos na rua.

É fundamental observar a certificação de órgãos reguladores de qualidade.

“Há risco de um produto falsificado conter substâncias na formulação sabidamente associadas ao desenvolvimento de câncer, como o asbesto”, reforça Dal’Forno Dini – que também é presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Secção RS -, sobre os riscos possíveis.

Estudos internacionais mostram que a radiação UV é o fator mais importante para desenvolvimento do câncer, especialmente o melanoma.

Hábitos para reduzir o risco incluem permanecer em ambientes com sombra, uso de chapéus e roupas de proteção, evitar atividades externas nos horários de maior exposição solar e uso regular de protetor solar nas regiões expostas.

[+] Veja mais Vida Saudável aqui