Trigo tem perdas nas Missões e situação da canola e aveia branca preocupa produtores


Jornal do Campo | Foto: Setrem

No que se refere ao trigo, a cultura evolui para o estágio reprodutivo (entre a floração e o enchimento de grãos) no Rio Grande do Sul. Apesar da boa aparência das lavouras, as espigas se apresentam pequenas, com baixo número de espiguetas e, em alguns casos, com grãos malformados. As informações são da Emater/RS-Ascar.

Produtores realizam a segunda aplicação de fungicida, havendo necessidade de mais uma aplicação de inseticida devido ao aumento da incidência de pulgões.

Na região das Missões, segue o registro de ocorrência de perdas (COPs), já somando mais de 220 delas. Segundo técnicos da região, a tendência, ao se aproximar a época de colheita do trigo, é que aumente o número de COPs, abrangendo praticamente todos os municípios da região.

Canola e aveia branca

As fases das lavouras de canola (foto) no Estado se encontram distribuídas na seguinte proporção: 20% em floração, 67% em enchimento de grãos, 10% em maturação e 4% colhidos. O aspecto geral das lavouras é considerado ruim na maioria dos casos, devido à baixa população de plantas cultivadas e às falhas no enchimento de grão (grão chocho). Muitas lavouras apresentam os dois estágios distintos de desenvolvimento (floração e enchimento de grãos) na mesma gleba, evidenciando possíveis perdas na cultura.

Também é considerado ruim o aspecto geral das lavouras de aveia branca, com plantas de porte pequeno, devido ao longo período com baixa umidade do solo no final de junho e durante todo mês de julho. A expectativa de produtividade poderá ter redução de até 50% sobre a inicial, mas esta medida ainda depende de avaliação final das equipes municipais.

Publicidade