Os espetinhos de carne do Paulo Daltoé

Os espetinhos de carne do Paulo Daltoé

Especial | Fotos: Outra Estação.com | © Todos os direitos reservados

Quem abana a brasa para manter a churrasqueira quentinha é Paulo Daltoé, 50 anos. Há tempos ele decidiu somar um troco ao dinheiro fixo do mês vendendo espetinhos de carne em locais de grande movimentação, principalmente em dias de eventos.

“Eu comecei devagar, não arrumava emprego, então resolvi ser autônomo. Iniciei com 50 espetinhos, fui para 100…”, lembra Paulo.

Jogos em estádios e ginásios são um bom motivo para Paulo encher a caixa térmica com espetinhos e assar na churrasqueira pequena e retangular que instala em frente ao grande público.

O tempero é… “O meu mesmo de casa. Sal e ‘deu’”, conta o vendedor de churrasquinho.

Os sabores são os tradicionais: carne de gado, coraçãozinho e frango. “A carne que eu escolho é boa. Para o cliente comer e gostar. Prefiro até pagar mais caro.”

Os espetinhos de carne do Paulo Daltoé

Em bons dias de venda, Paulo consegue transformar quase cem espetinhos de carne em quatro centenas de reais.

Com autorização para trabalhar com a comercialização de espetinhos, Paulo é presença frequente em eventos esportivos, shows e bailes de Santo Ângelo.

Sábado, dia 31 de outubro de 2015, esteve em frente ao Marcelo Mioso para dar conta da fome de torcedores que foram ao ginásio assistir às partidas da Asaf pelos campeonatos estaduais de base.

“Onde estou, encontro conhecidos. Quem trabalha na noite é assim”. Além dos jogos, é comum encontrar Paulo nas saídas de bailes vendendo seus espetinhos.

Dentro do Ginásio Marcelo Mioso também é possível ver alimentos à venda. E de qualidade. Pasteis e cachorros-quentes, principalmente. Além de bebidas. Mas Paulo não está ali para concorrer: “o sol nasceu para todos”.

O público dele é composto exatamente por caras e moças que preferem um bom e enfarinhado espetinho de carne para controlar a fome e a ansiedade com os jogos.

Lá fora, Paulo faz da fumaça da churrasqueira o sinal para os famintos. Além do apelo visual, o aroma que toma conta do ambiente circundante é outro convite irresistível para a degustação do churrasquinho de quatro reais (em 2015).

Passados tantos anos, o vendedor reúne histórias de todos os tipos.

O Mastigador de Carne Crua

“Uma vez um cara chegou bêbado, ‘duro de Fanta’, e pediu uma carne. Eu disse que ainda não estava bem assada. Ele aceitou. Depois, reclamou que estava crua, mas comeu assim mesmo. No outro dia ele me encontrou e disse que passou muito mal.”

O Esquecido do Ginasião

“Um dia eu estava aqui vendendo no ginásio [Marcelo Mioso]. Cheio de gente em volta, atendia um e outro. Alguém pegou um espetinho, procurei para cobrar e não encontrei. Pensei: ‘perdi o churrasquinho’. No outro dia, ele mesmo me encontrou no centro da cidade e perguntou se tinha esquecido de pagar. Então me deu os quatro pilas. O cara foi gente boa. Às vezes não é por maldade, só esquecimento.”

Algumas unidades de espetinho de madeira, quilos de carne, gramas de tempero e farinha. Estes são os ingredientes da receita de Paulo para não usar o tempo livre reclamando do que a vida ainda não lhe deu. “Eu tenho que correr atrás do que dá sustento a mim e à família. Se ficar em casa, não ganho.”

Ouça o especial “Os espetinhos de carne do Paulo Daltoé” no player abaixo

[+] Veja mais Especial aqui

Publicidade