Operação Greed combate estelionato e lavagem de dinheiro em Santo Ângelo e Região Metropolitana

Operação combate estelionato e lavagem de dinheiro em Santo Ângelo e Região Metropolitana

Caderno de Notícias | Fotos: Polícia Civil/Divulgação

Residências, escritórios e empresas de fachada de Santo Ângelo, Porto Alegre, Viamão e Gravataí foram foram os destinos de agentes da Polícia Civil gaúcha nesta quarta-feira, 15.

Durante a ação, quatro pessoas foram presas, além de quatro veículos de alto valor apreendidos, documentos, joias e artigos de luxo.

A Divisão Estadual de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (DCCOR) deflagrou a operação Greed (“ganância”, em tradução livre), que teve como finalidade a investigação de eventuais crimes de estelionato e lavagem de dinheiro praticados por uma organização criminosa que oferecia a empresários serviços de prospecção de linhas de crédito, no Brasil e exterior, que teriam como finalidade expandir as atividades negociais das pessoas jurídicas vítimas.

Segundo o delegado Marcus Viafore, o grupo criminoso cobrava das vitimas honorários e custos para a obtenção dos empréstimos que não se realizariam. Ao final, enriquecia ilicitamente com esses valores.

“Os membros da organização criminosa branqueavam o capital por meio de contas bancárias de familiares, empresas de locação de automóveis, empresas de fachada e até mesmo na constituição de clínicas estéticas. O prejuízo de uma das vítimas foi no montante de mais de R$ 3 milhões”, relata Viafore.

Operação combate estelionato e lavagem de dinheiro em Santo Ângelo e Região Metropolitana

Os policiais cumpriram sete mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão nas quatro cidades, chegando a casas e escritórios dos investigados e empresas de fachada ou suspeitas.

Foram indisponibilizados imóveis pertencentes aos investigados, assim como determinadas restrições de transferência de outros, bloqueadas contas bancárias, além da proibição de se ausentarem do país.

“Em avaliação preliminar, estão sendo constritos aproximadamente cinco milhões de reais em patrimônio do grupo”, diz Viafore.

[+] Veja mais Caderno de Notícias aqui