Carro de som, higienização de espaços públicos e plantão: como Santo Ângelo tem enfrentado os riscos do coronavírus

Carro de som, higienização de espaços públicos e plantão: como Santo Ângelo tem enfrentado os riscos do coronavírus

Caderno de Notícias | Fotos: Rodrigo Bergsleithner/Prefeitura de Santo Ângelo/Especial

Quem circulou por algumas áreas de Santo Ângelo na noite de terça-feira, 25, percebeu que trabalhadores com roupas brancas realizavam a limpeza de diversos espaços públicos.

Jatos de água com hipoclorito de sódio foram usados para a limpeza da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Hospital Unimed, Hospital Santo Ângelo (HSA), Centro Histórico de Santo Ângelo, Catedral Angelopolitana, prefeitura, pontos de ônibus, Posto de Atendimento Dr. Ernesto Nascimento Sobrinho (Postão da 22 de Março) e Estação Rodoviária.

A higienização tem a finalidade de reduzir a circulação do coronavírus (Covid-19) em Santo Ângelo.

Nos próximos dias, outros locais do município também vão passar pelo processo de desinfecção executado pela prefeitura, com acompanhamentos dos profissionais das secretarias municipais do Meio Ambiente e da Saúde.

Decreto municipal

Mesmo sem casos de coronavírus confirmados na cidade, na última segunda-feira, 23, o prefeito Jacques Barbosa (PDT) assinou um decreto que suspende de atividades do comércio e serviços.

Supermercados e mercados estão autorizados a estender o horário de atendimento para 24 horas.

O funcionamento das indústrias não será afetado pelo decreto e segue em sua normalidade.

As oficinas mecânicas veiculares e de máquinas pesadas e as lojas de reposição de peças, comércio de materiais de construção civil e escritórios de contabilidade deverão prestar atendimento remoto ou televendas, na forma de plantão, também observadas às situações de higienização e de circulação de pessoas.

Restaurantes, lanchonetes e padarias devem funcionar, preferencialmente, em regime de tele-entrega.

Denuncie!

O decreto prevê penalidades em caso de descumprimento como multa, interdição total da atividade e cassação de alvará de localização e funcionamento, além de outras sanções nas esferas administrativas, cíveis e penais.

A Secretaria do Meio Ambiente de Santo Ângelo criou uma força-tarefa e disponibilizou o telefone 55 997 071 919 para denúncias de ações em desacordo com as normas sobre as atividades permitidas com base nos decretos relacionados ao Covid-19.

Carro de som e conscientização

Nos últimos dias, a campanha de conscientização da população santo-angelense tem sido intensificada. Carros de som têm percorrido as ruas da cidade com alertas sobre os riscos oferecidos pela doença e os cuidados que devem ser tomados.

Mesmo com a quantidade de informações distribuídas pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde e por próprias iniciativas de organizações privadas, há aqueles que ainda não estão respeitando as recomendações.

Aulas suspensas

Desde o dia 18 de março as aulas na rede pública municipal de ensino estão suspensas.

Também escolas particulares e instituições de ensino superior de Santo Ângelo tomaram decisões na mesma direção para contribuir com as medidas de isolamento social.

Idosos precisam entender seus riscos

O grupo de pessoas que têm acima de 60 anos é um dos focos. De acordo com a secretaria estadual de saúde, os idosos são mais vulneráveis à transmissão do novo coronavírus e formam 20% da população gaúcha.

Apesar de tantos alertas, não são poucos os exemplos negativos de pessoas desta faixa etária que continuam saindo de casa sem necessidade, apenas para passeios.

Um estudo do Centro para a Prevenção e Combate a Doenças da China, divulgado no início de março, analisou casos no país, tomando exemplos do mês de fevereiro, e identificou que a taxa de mortalidade avança conforme a idade.

Entre 0 e 49 anos, não passa de 1%. De 50 a 59, 1,3%. Entre 60 e 69 vai, sobe a 3,6%. Dos que têm 70 até os de 79 anos, 8%. Acima dos 80, chega a 14,8%.

[+] Veja mais Caderno de Notícias aqui