Entre-Ijuís Futsal repudia ofício ameaçador enviado pela FGFS

Associação Entre-Ijuís Futsal (AEF)

Caderno de Esportes | Imagem: Entre-Ijuís Futsal/Divulgação

A diretoria da Associação Entre-Ijuís Futsal (AEF) manifestou-se nesta terça-feira, 23, em contraponto a um ofício enviado pela Federação Gaúcha de Futebol de Salão (FGFS) à prefeitura de Entre-Ijuís.

No documento, em tom ameaçador, a federação afirma que a prefeitura pode ter infringido a Lei de Responsabilidade Fiscal ao ceder gratuitamente o Ginásio de Esportes Leônidas Ribas e possíveis outros serviços ao Entre-Ijuís Futsal para a disputa da Liga Gaúcha 3.

A FGFS afirma que  a atual competição disputada pelo clube não é oficial, sem reconhecimento da federação gaúcha e da Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS).

O ofício assinado por Ivan Rodrigues dos Santos, secretário-geral da FGFS, deixou bastante descontente a direção do clube entre-ijuiense.

“A AEF jamais vai aceitar intimidações, nem se curvar a ameaças de dirigentes obsoletos e obscuros. Aceitamos qualquer crítica ao nosso time, menos quanto à lisura dos procedimentos adotados”, publicaram os dirigentes de Entre-Ijuís.

Além das ameaças contidas no ofício – segundo entendimento do clube -, há erros que invalidam o documento por desconhecimento da realidade local.

O ginásio, por exemplo, apontado pela FGFS como uma praça esportiva municipal, é estadual e faz parte da Escola Técnica Estadual Entre-Ijuís.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Associação Entre-ijuís Futsal (@entreijuisfutsal) em

Quase 100 clubes optaram pela Liga Gaúcha

Entre erros e acusações, o ofício chega em um momento em que dezenas de clubes do Rio Grande do Sul se afastam da federação por discordar da condução da entidade nos últimos anos.

Atualmente, 98 entidades esportivas do Estado disputam as competições organizadas pela Liga Gaúcha de futsal: Ligas 1, 2 e 3 (primeira, segunda e terceira divisões), feminina e de base (sub-9, sub-11, sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20).

Entre as equipes que abandonaram as competições organizadas pela federação e optaram por participar da Liga Gaúcha em 2019 estão ACBF e Atlântico (Erechim), duas das principais do Rio Grande do Sul.

Em 2019, Entre-Ijuís Futsal disputou a Liga Gaúcha 3, parando ainda na primeira fase da competição. A Asaf, por sua vez, sem equipe adulta, participa da Liga Gaúcha com suas equipes sub-15 e sub-17.

Em seus espaços oficiais, a diretoria do Entre-Ijuís Futsal manifestou-se contra o ofício enviado à prefeitura de Entre-Ijuís. O clube também tornou pública a nota de repúdio enviada à FGFS, inclusive reforçando a “tomada de providências legais para resguardar o bom nome da associação”, caso a federação insista em comunicações desta natureza.

Associação Entre-Ijuís Futsal

“Nota de Repúdio.

A Associação Entre-Ijuís de Futsal tomou ciência do ofício circular nº 001/2019, de 18 de junho de 2019, no qual a Federação ameaça o prefeito municipal de nosso município de crimes de responsabilidade fiscal caso ceda o “ginásio municipal” ou bens públicos para disputa da competição da Liga Gaúcha de Futsal.

O ofício não tem mérito e visa, apenas, criar animosidade na harmoniosa convivência do poder público com a AEF, além de demonstrar a falta de caráter e bom senso dos que conduzem a Federação. Em primeiro lugar, usamos Ginásio Estadual e, em segundo lugar, a cessão de quaisquer bens do município é precedida de audiência pública, processo administrativo, com final prestação de contas. Ao contrário da Federação, fazemos tudo publicamente sob o escrutínio dos interessados.

Paralelamente, face as adjetivações de “não reconhecimento” e “não oficialidade”, mister referirmos que a Lei 9615/98 (normas gerais do desporto), elenca os princípios fundamentais da prática desportiva, bem como a inclusão das ligas como entidades de prática desportiva participantes do Sistema Nacional do Desporto. Aludida lei também aponta que as ligas poderão, a seu critério, filiar-se ou vincular-se a entidades nacionais de administração do desporto.

Na verdade, o desespero desta moribunda entidade somente sedimenta e solidifica a opção pela liga, longe e distante das lamentáveis posturas que em nada beneficiam o futsal. É apenas a luta pela manutenção dos privilégios de alguns, os quais, no que depender da AEF, jamais retornarão. A liga é realidade.

Por fim, informamos que eventuais renovações de comunicações desse jaez ensejarão a tomada de providências legais para resguardar o bom nome da associação.”

Federação Gaúcha de Futebol de Salão

“Ao Ilmo. Sr. prefeito da cidade de Entre-Ijuís.

Na qualidade de secretário-geral e no uso das atribuições estatutárias da Federação Gaúcha de Futebol de Salão – FGFS, venho informá-lo do disposto, a seguir:

Considerando que, nos termos do artigo 217, inciso I, da Constituição Federal, esta federação constitui instituição sem fins lucrativos e é investida com poderes para gerir com exclusividade as competições oficiais de futebol de selão no estado do Rio Grande do Sul, devidamente reconhecida pela Confederação Brasileira de Futebol de Salão – CBFS;

Considerando que o clube AEF não participa neste ano de 2019 dos campeonatos oficiais e

Considerando que no presente ano disputa um campeonato denominado Liga Gaúcha de Futsal, cuja competição não possui qualquer vínculo ou reconhecimento com esta federação e, tampouco, com a Confederação Brasileira de Futebol de Salão – CBFS, razão pela qual considerado não oficial e, por isso, com caráter privado e precário;

Impositivo orientar e alertar Vossa Excelência:

Que é indevido o uso gratuito do ginásio municipal pelo sobredito clube em partidas realizadas pela precitada Liga, dado o seu caráter privado e não oficial ao não ser reconhecida por esta Federação;

Que eventual autorização do Poder Executivo para o referido clube realizar, gratuitamente, partidas pela Liga Gaúcha de futsal no ginásio municipal, bem como a disponibilização do patrimônio público municipal, tais como, cedência de ambulância e segurança da guarda municipal, poderá configurar infringência à Lei de Responsabilidade Fiscal a ser apontada por órgãos de controle e fiscalização externos.

Que ante a situação exposta acima, urge providências por parte deste Poder Executivo, cuja medida, desde já, solicita seja informada a esta Federação.

Sem mais para o momento, renovamos nossa estima e consideração.

Ivan Rodrigues dos Santos – Secretário-geral da FGFS”

[+] Veja mais Caderno de Esportes aqui