Falta educação ou sensibilidade?

Falta educação ou sensibilidade?

Opinião | Foto: Outra Estação.com | © Todos os direitos reservados
Fabiane Esperança Rocha, psicóloga e psicoterapeuta

Diante das minhas experiências do dia a dia e nas minhas observações a respeito da falta de acessibilidade ainda gritante, me pergunto o que falta para uma maior conscientização das pessoas com preconceitos. Falta educação ou sensibilidade? Estou mais que convencida que faltam os dois.

Estamos no século XXI, batalhando por mudanças e o foco desta mudança é a mentalidade preconceituosa das pessoas que são influenciadas pela educação que receberam e que passam de geração para geração, o que se torna um empecilho para que as mesmas assumam os próprios preconceitos, sendo a única maneira de se livrarem deles.

Já escrevi sobre esta falta de acesso dentro dos transportes coletivos, do qual sou usuária assídua, e o que me chama mais atenção é que as pessoas que mais cedem lugar a um usuário com deficiência são os mais velhos e não os jovens.

Às vezes fico sem jeito de aceitar e peço para que o mesmo permaneça no seu lugar, mas ele insiste em ceder o assento. Se necessário, ainda vou bater na mesma tecla, até que as pessoas se conscientizem e cedam o lugar também às pessoas com deficiências, pois só assim, quem sabe, poderemos modificar a mentalidade das pessoas.

O que gostaria de ressaltar é a falta de acessibilidade em concursos públicos. As cotas para as pessoas com deficiências são escassas e, quando são aprovadas nestes concursos, às vezes não podem assumir o cargo por sofrerem preconceitos, como muitas histórias que vejo.

[+] Veja mais Opinião aqui