Ataque dos EUA aos Houthis, guerra Israel-Hamas, crise em Gaza

Esta foto divulgada pelo Houthi Media Center mostra as forças Houthi embarcando no cargueiro Galaxy Leader em 19 de novembro de 2023.
Esta foto divulgada pelo Houthi Media Center mostra as forças Houthi embarcando no cargueiro Galaxy Leader em 19 de novembro de 2023. Houthi Media Center/AP/Arquivo

Os EUA lançam mais ataques contra alvos Houthi no Iémen, mas quem é o grupo?

O movimento Houthi, também conhecido como Ansarallah (Apoiadores de Deus), surgiu na década de 1990, quando o seu líder, Hussein al-Houthi, lançou um movimento de renascimento religioso chamado Zaidismo, uma subseita secular do Islão Xiita.

Os Zaydis governaram o Iémen durante séculos, mas foram marginalizados sob o regime sunita que chegou ao poder após a guerra civil de 1962. O movimento de Al-Houthi foi fundado para representar os Zaydis e para se opor ao sunismo radical, especialmente às ideias Wahhabi da Arábia Saudita. Seus seguidores mais próximos ficaram conhecidos como Houthis.

Atualmente, os Houthis controlam a maior parte do Iémen e também parte do Irão. “Eixo da Resistência” – Uma coligação anti-Israel e antiocidental de milícias regionais apoiada pela República Islâmica. com o Hamas em Gaza e Hezbolá No Líbano, os Houthis são uma das três principais milícias apoiadas pelo Irão que realizaram ataques a Israel nas últimas semanas.

Ataques no Mar Vermelho: Os Houthis têm como alvo navios mercantes no Mar Vermelho para infligir problemas económicos a Israel e aos seus aliados em resposta às cenas horríveis que saem de Gaza, e acredita-se que seja uma tentativa de pressionar Israel a pôr fim ao seu bombardeamento.

A economia mundial continua a ser um lembrete doloroso da importância deste estreito que vai da costa do Iémen, através do Estreito de Bab-el-Mandeb, até ao Canal de Suez, no norte do Egipto – através do qual fluem 12% do comércio global, incluindo 30% do tráfego global de contêineres.

Vários países estão a tomar medidas para controlar a agressão Houthi no Mar Vermelho. Entretanto, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução apelando ao grupo rebelde Houthi do Iémen para pôr fim à sua ofensiva no Mar Vermelho.

Um porta-voz Houthi disse que continuariam os ataques “para evitar que os navios israelenses navegassem nos mares Árabe e Vermelho com destino aos portos da Palestina ocupada”.

Consulte Mais informação Aqui.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top